quarta-feira, janeiro 26, 2005

Lili, a minha palmeirinha.

Lili é uma menina muito especial.
Tem sempre as maçãs do rosto muito vermelhas e um elástico no cucuruto da cabeça que lhe prende os cabelitos loiros e finos, formando uma palmeira dançante.
Está quase a fazer 4 anos , mas tem a energia de oito. Adora fazer sons roucos com a garganta e oferece ao mais incauto um abraço forte e envolvente, sem pressa, sem apertar demais, sem vontade de largar....
Dar-lhe prazer é deixá-la apalpar a sua própria barriga, rodar um pião gigante à frente dela ou dar-lhe suissinhos, como sobremesa. (Que ela sabe usar como chantagem quando a sopa não lhe agrada)
Há pouco tempo começou a ir à piscina, a desenvolver actividades especiais que a ajudam a evoluir, por dentro e por fora. E é magia vê-la crescer...
Hoje soube que vou deixar de ver a Lili. Demorei-me mais a fazer as tarefas habituais. Demorei mais os abraços. Dançámos mais que o normal. Só nós duas. À hora da deita falei-lhe mais baixinho...
Já tenho saudades dela, do ballet dela, da música dela, da força dela. Tenho a certeza que vai encantar outros como me encantou a mim e desencantar formas mágicas para continuar a crescer. Até poder. Até saber.
A Lili é a minha palmeirinha. Tanta energia. Tanta leveza. Tanta certeza de querer viver.