sábado, fevereiro 05, 2005

Foliões

“Detesto o Carnaval!”.
“Ai, eu não gosto nada das brincadeiras de Carnaval”.
“ E eu cá não acho piadinha nenhuma aos mascarados”.

São frases que se ouvem recorrentemente nas bocas das pessoas nesta época profana do ano.
Pois eu caros IE’s, adoro roubar sorrisos e gargalhadas dos meus familiares e colegas de trabalho fazendo pequenas alterações ao meu visual, empunhar uma bisnaga cheia de água e esguichar, esguichar… Colar rabos de papel, brincar com aranhas, formigas de borracha. Encher a boca de quem se está a rir com papelinhos. E vê-los enojados com um real cagalhão (porção de excremento de consistência sólida) de plástico que parece verdadeiro e eles levantam a perna para não o pisar, e pensam “Que chatice, não é que ia pisando m….!!”
Este tortulho tem histórias que fizeram rir dezenas de pessoas. Não achar piada a estas coisas é estranho, digo eu.
Bem sei que o aspecto escatológico da coisa não agrada a muitos, no entanto o Carnaval dos nossos políticos dura todo o ano e tem por vezes contornos bem piores e se calhar agora achamos que nesta altura devíamos descansar um pouco.
Quanto a mim a diferença é que eles não me fazem rir e chegam quase a fazer-me chorar, e como sei que eles estão pouco preocupados comigo (e com vocês também acreditem!) vamos lá exorcizar 362 dias do ano. E agora se não se importam vou mascarar a minha filha.

Façam rir alguém!