quarta-feira, fevereiro 09, 2005

O "Placar"

Vivo nesta cidade há quase 6 anos e durante todo este tempo tenho-me confrontado com um hábito para o qual tenho dificuldade em encontrar explicação. Existe na Praça do Giraldo uma vitrina com informação sobre os que deixaram de existir e que é ponto de encontro de todos os curiosos da cidade. Diariamente as pessoas param em frente ao que chamam de "placar" para saberem quem morreu. A curiosidade aumenta se as fotos são de gente que não era suposto ter morrido tão cedo. Os mais jovens.
"Atão... já viste quem está no placar?" é uma frase que se ouve com frequência. Confesso que não entendo muito bem este ritual. Talvez seja pelo facto de em todas as terras onde vivi não existir nada parecido com o "placar". Mas o que é mais grave é que até eu já tenho o hábito de ir espreitar o "placar". Ora, se não conheço ninguém nesta cidade, que me leva a mim a ir espreitar o dito? Será que verificar a identidade dos mortos nos faz sentir mais sortudos por estarmos vivos? Alguém me pode ajudar a compreender o fenómeno antes que eu apareça no "placar"?