domingo, fevereiro 27, 2005

O regresso das nuvens

Está tudo cinzento. E quando está tudo cinzento não me apetece resistir mais. Espreito por todos os lados que julgo existirem e a cor continua a ser a mesma: cinzento! Quase a tocar a negritude que nos faz sentir perdidos. Não existem janelas por onde entre um raio de sol, portas por onde a esperança penetre e se instale. Como acontece com todos os cansados e vencidos não me apetce ver nem ser visto, encho-me de auto-comiseração, de culpa e de mais umas quantas coisas que aqui não cabem. Consciente de que um dia o Sol não voltará a brilhar, nestes momentos acredito sempre que é desta. Sendo verdade que nunca foi, também é verdade que a sê-lo só o será uma vez!
Lá fora também está cinzento, frio e, ainda por cima, chove! Pode ser que seja por isso...